As 19 perguntas que ninguém faz sobre Hipnoterapia

Segundo uma pesquisa do Instituto Market Analysis, mais de 30% dos adultos no Brasil reconhecem precisar de terapia mas apenas 2% buscam por esta ajuda. Um dos principais motivos é a descrença na eficácia nos modelos tradicionais! Conheça agora a Hipnoterapia.

1. O Que É Hipnoterapia?

Eu poderia apenas dizer que é uma terapia realizada com o cliente em estado de hipnose. Seria uma resposta certa, mas não responderia o que você realmente precisa saber quando faz esta pergunta.

Vamos começar pelo sufixo “terapia” da palavra. Assim ficará mais fácil compreender o prefixo “hipno” e a junção das duas partes.

 

Banner ebook Regressão em Hipnoterapia

2. O Que É Terapia?

Podemos definir como um conjunto de práticas para alcançar mudanças funcionais em uma pessoa.

Existem áreas diferentes de aplicação que utilizam princípios e métodos distintos, por exemplo, terapias corporais, espirituais, psíquicas (ou mentais).

Vamos focar nesta última porque se refere à área de aplicação da Hipnoterapia, a mente.

Dentro das terapias psíquicas, existem diversas linhas terapêuticas. Algumas mais populares como as estudadas pela Psicologia (terapia cognitivo-comportamental TCC, sistêmica, familiar, psicodrama etc), Psicanálise, Behaviorismo e Humanismo.

Todas com objetivos alinhados para proporcionar, conduzir, provocar mudanças na função psíquica (mental) de uma pessoa. Para superação de sofrimentos e transtornos emocionais, comportamentais, psicossomáticos. E com uma característica em comum que nos interessa nesta leitura, “a linguagem de terapêutica”.

3. O Que É Linguagem Terapêutica?

Na maioria das linhas de terapia a linguagem de comunicação entre o terapeuta e o cliente é consciente. Utiliza argumentos racionais, lógicos para ser compreendida, aceita e processada.

Existem basicamente dois tipos de linguagem para comunicação entre as pessoas, a consciente e a subconsciente (também conhecida como subliminar).

  • A linguagem consciente é baseada em argumentos racionais e lógicos e é compreendida pela camada Consciente da mente.
  • A linguagem subconsciente é baseada em metáforas, símbolos, estímulos, pensamentos e é compreendida pela camada Subconsciente da mente.

A primeira é naturalmente útil para alcançar mudanças conscientes. Mas em alguns casos, apenas os sintomas estão programados na camada consciente da mente de um cliente. Assim, este formato de terapia acaba tratando os sintomas, mas não as causas.

Já a linguagem subconsciente é útil para alcançar mudanças mais internas.

Entretanto, não adianta apenas usar uma determinada linguagem e esperar que seu cliente a processe corretamente. Ele precisa estar em modo de consciente alinhado à linguagem usada.

Agora, vou te explicar o que são modos de consciente, mas antes…

O Que É Linguagem Terapêutica

Uma pausa rápida para explicações necessárias…

RELAÇÃO CAUSA X SINTOMA: consideramos que para todos os transtornos psíquicos que não são deficiências desenvolvidas na gestação, existe uma causa que gera e os sintomas.

As causas geralmente são traumas vividos e os sintomas são as reações emocionais aparentemente descontroladas como ansiedade, tristeza, medo etc.

Isso quer dizer que, o que incomoda as pessoas e causa sofrimento, muitas vezes é apenas o sintoma do problema e não a causa.

A notícia boa é que sabendo disso, é possível identificar e tratar a causa, a notícia ruim é que se o tratamento for realizado apenas com foco nos sintomas, eles podem retornar depois.

CAMADAS DA MENTE: O que chamamos de mente é uma representação de como o cérebro funciona.

Para facilitar o estudo e a compreensão, dividimos a mente em 3 camadas que representam o agrupamento de diferentes funções do cérebro.

A mente consciente, subconsciente e inconsciente.

Estes 3 nomes não se referem a partes físicas do cérebro, mas a representações de suas funções, por exemplo:

  • A mente consciente agrupa as funções que nós percebemos e controlamos em nosso cérebro. Como força de vontade, sistema de decisões, memória de curso prazo, memória funcional etc.
  • A mente subconsciente agrupa funções que nós percebemos, mas não controlamos em nosso cérebro. Como reações emocionais, hábitos, personalidade, valores, memória de longo prazo etc.
  • A mente inconsciente agrupa funções que nós não percebemos e não controlamos em nosso cérebro. Como o funcionamento do sistema imunológico, sistema nervoso, reflexos de sobrevivência etc.

(Para saber mais sobre a Mente, recomendamos este artigo, clicando aqui).

Níveis de Consciência

4. O Que São Modos de Consciência?

Existem 2 modos de consciência e eles possuem relação direta com nossas camadas da mente.

  • O modo Consciente onde a pessoa está mais direcionada para receber e processar uma comunicação por linguagem consciente. Geralmente sua atenção está focada no ambiente externo.
  • O modo Subconsciente para uma comunicação por linguagem subconsciente. Geralmente com atenção focada para o ambiente interno, em pensamentos e reações emocionais.

Assim, para ter sucesso em uma comunicação, principalmente terapêutica, é importante que o cliente esteja no modo de consciência compatível com a linguagem utilizada.

Voltando ao que é Hipnoterapia…

Após este alinhamento de conceitos, posso dizer que hipnoterapia é uma linha terapêutica que utiliza linguagem subconsciente em um cliente hipnotizado (modo de consciência subconsciente) para direcionar mudanças mais internas em sua mente.

Considerações:

  • O modo de consciência subconsciente = estado de hipnose ou estado de transe;
  • A linguagem subconsciente = sugestões (comandos) hipnóticos.

5. É Necessário Ter Formação Em Uma Área Terapêutica Como Psicologia Para Usar Hipnoterapia?

Não.

Nota: Uma coisa é saber hipnotizar um cliente, outra coisa é saber realizar terapia com o cliente em estado de hipnose.

Para realizar Hipnoterapia da maneira correta é necessário ter domínio de ambos.

O que não pode é tentar realizar hipnoterapia tendo conhecimento apenas sobre hipnose.

Fazendo uma boa formação em Hipnoterapia, um profissional irá aprender naturalmente técnicas de hipnose, mas também aprenderá protocolos terapêuticos que operam com o cliente em transe. Não sendo necessária outra formação em escola terapêutica.

Mas vale ressaltar que profissionais que são formados em escolas terapêuticas (Psicologia, Psicanálise etc.) possuem uma vantagem em relação aos que não são. Pois já possuem um perfil terapêutico formado e podem combinar os protocolos que já dominam com a Hipnoterapia.

Existe uma interpretação de que a Hipnoterapia não seja uma terapia, mas apenas a definição do estado terapêutico para realização de uma terapia. Desta forma sendo necessário o conhecimento/formação em alguma escola terapêutica para realização da Hipnoterapia. O que não é verdade!

Naturalmente quem defende esta interpretação são as escolas de terapia tradicionais. Elas têm a legítima preocupação de que a hipnoterapia seja realizada por profissionais sem conhecimento terapêutico, apenas com capacitação técnica em hipnose, apresentando riscos aos clientes. Fazendo referência a alunos de cursos superficiais de hipnoterapia.

(Para saber mais sobre Hipnose, recomendamos este artigo, clicando aqui).

São escolas diferentes de terapia

6. O que a Hipnoterapia trata?

Qualquer patologia psíquica como doenças e transtornos emocionais, comportamentais ou psicossomáticos que tenha sido desenvolvida após o nascimento.

Uma pequena lista de exemplo:

  • Transtornos de Personalidade, como anti social, timidez, borderline, narcisista;
  • Transtornos relacionados ao uso de substâncias, como drogas ilícitas, álcool, medicamentos ou cigarros;
  • Transtornos Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta, como Cleptomania, Piromania ou transtorno explosivo;
  • Disfunções Sexuais, como ejaculação precoce, impotência, vaginismo;
  • Transtorno do Sono-vigília, como insônia, hipersonolência;
  • Transtorno da Eliminação, como incontinência urinária ou fecal;
  • Transtornos Parafílicos, relacionados ao desejo sexual;
  • Transtornos Emocionais, como Ansiedade, Depressão, Síndrome do Pânico, Medo, Fobia, Estresse, Raiva, Ciúmes, Impaciência,
  • Transtornos Compulsivos, como TOC, manias, tricotilomania;
  • Disfunções Alimentares como Obesidade, Compulsão, Bulimia;
  • Transtornos Psicossomáticos, como dores crônicas, fibromialgia;

Todos os itens desta lista possuem um fator em comum, são reações mentais que atrapalham a vida de quem as possui e não são controláveis conscientemente.

Existe ainda uma linha de estudos em conjunto com a Hipnoterapia, chamada de “Leis Biológicas”, “Nova Medicina Germânica” ou “Origem Emocional dos Sintomas” que defende a origem de doenças físicas e degenerativas como sendo causadas ou não combatidas, pela mente como câncer, lesões, Alzheimer, Parkinson etc. Por esta linha seria possível também tratar estas patologias com Hipnoterapia retardando sua evolução, desativando o trauma ou conflito responsável pela origem.

7.Quais as Restrições para um tratamento?

Tecnicamente a única restrição é o impedimento de haver comunicação instrutiva entre o terapeuta e o cliente. Este formato de terapia se torna restrita apenas para crianças em idade que não compreendem a linguagem verbal, pessoas com doenças psiquiátricas como autismo, hiperatividade, esquizofrenia, transtornos psicóticos, demência etc.

8. Quais as Vantagens de um tratamento?

Resultado Rápido

Em primeiro lugar, existe uma ilusão de que a mente precisa de muito tempo para mudar, que uma terapia precisa levar anos para ser efetiva… Mas por que? Na verdade, a mente precisa de segundos para assumir uma programação nova. Só precisa ser corretamente conduzida para isso.

Veja este exemplo, imagine uma pessoa que gosta de fazer caminhada todas as manhãs. Já faz isso há mais de 10 anos, todos os dias a mesma rotina. Antes de sair para trabalhar faz uma caminhada de 30 minutos e retorna para casa. Então, um belo dia, chega uma moto com duas pessoas e anunciam um assalto. Levam relógio, celular e carteira, em menos de 20 segundos tudo acontece. Agora eu pergunto a você, como esta pessoa estará para fazer sua caminhada no dia seguinte? Apavorada, certo? Com medo e certamente decidida a não sair para seguir sua rotina… Talvez carregue consigo um estado de medo para qualquer momento em que esteja caminhando sozinha ou quando uma moto parar ao seu lado

O que esta história nos mostra? Que a mente foi capaz de mudar em menos de 20 segundos, assumindo uma programação nova, negativa, de medo e pavor diante de estímulos que pareciam ser inofensivos.

Então, se a mente é capaz de passar por uma mudança ruim em 20 segundos, por que ela precisa de anos para uma mudança positiva? Não faz sentido.

Em segundo lugar, terapias com hipnose são sim capazes de proporcionar mudanças rápidas, simplesmente porque elas conduzem mudanças diretamente na camada subconsciente. Local onde os traumas e as programações emocionais ficam guardadas.

Com a condução certa pelo Hipnoterapeuta e o engajamento certo pelo Cliente, em muitos casos uma única sessão é suficiente para superar um transtorno que parecia ser invencível.

Sem a Necessidade de Remédios

A hipnoterapia não depende de medicação para funcionar, pelo contrário, em muitos casos é a porta de saída para clientes que querem se livrar da dependência dos fármacos.

Vale ressaltar que hipnoterapeutas não fazem prescrição, suspensão ou qualquer orientação para uso de remédios, apenas médicos.

Solução de Sintomas

É possível amenizar ou até anular a percepção de sintomas, mas em casos onde haja causas ativas internamente (traumas), gerando os sintomas, o efeito é momentâneo, sendo necessário tratar a causa para realmente acabar com os sintomas.

Se não houve causas ativas, os sintomas não retornam.

Sintomas muitas vezes são as reações perceptivas. O que achamos ser o problema na verdade são os sintomas como toda a lista de exemplos citada no item 6 desta leitura.

Solução de Causas

Uma das maiores vantagens de um tratamento com hipnose é encontrar e tratar a causa dos problemas.

Isso é possível, principalmente graças aos protocolos de Regressão de Memória que permitem a uma pessoa encontrar traumas vividos em qualquer época de sua vida.

Encontrar uma memória traumática é apenas o primeiro passo, o segundo é ressignificá-la ou dessensibilizá-la emocionalmente.

Vale destacar que o conceito de “traumática” para uma memória depende do ponto de vista cronológico em que é analisada e sempre avaliamos pela ótica da idade de quando ocorreu. Muitas vezes, quando analisamos pela idade atual, não percebemos como trauma. Por exemplo, uma criança que é escolhida por último em uma aula de educação física pode estar passando por um trauma que não seria grave para um adulto na mesma situação.

Autoconhecimento Comportamental e Emocional

Quando uma pessoa passar por Hipnoterapia, consequentemente começa a compreender melhor como suas emoções funcionam. Como é possível assumir o controle sobre suas atitudes e como pode ser mais forte que suas limitações. Isso gera uma percepção incrível de evolução e autoconhecimento.

As Vantagens de um tratamento com Hipnoterapia

9. Como os problemas são resolvidos?

Através de técnicas de ressignificação ou dessensibilização em Hipnose.

“O problema nunca é o problema, o problema é como interpretamos o problema”. Emblemático, não? Explico melhor…

O que torna um evento em um problema, é a maneira como nossa mente o interpreta. E ela fará isso utilizando referências aprendidas (experiência de vida) e regras naturais (falaremos delas mais tarde).

Para quem tem medo de baratas, o problema real não é a barata, mas a interpretação emocional que a mente tem sobre a barata. O problema não são as coisas ruins que acontecem na vida no sentido contrário de nossas expectativas, mas sim a maneira como interpretamos estas coisas.

Errar um caminho que vai gerar atraso para um compromisso que não poderia se atrasar é motivo para ficar com raiva? Provavelmente sim… Mas e se você soubesse que passando pelo caminho certo sofreria um acidente? Agora parece ser uma boa notícia errar o caminho e ter que contornar um atraso de poucos minutos, não é?

Partindo deste princípio, não precisamos mudar eventos para resolver problemas, precisamos apenas mudar a associação emocional que nossa mente fez para este evento.

  • Ressignificar é quando mudamos o significado racional, lógico e emocional de um evento, geralmente um processo de mudança que ocorre na mente consciente.
  • Dessensibilizar é quando retiramos o significado emocional que existe associado a um evento, neutralizando-o e dando a oportunidade da mente associar uma nova emoção, positiva, no lugar.

10. Por que as pessoas precisam de terapia?

Porque não existe um sistema imunológico mental.

Nosso sistema imunológico fisiológico funciona o tempo todo combatendo intrusos e processos inflamatórios em nosso organismo. Quando precisamos tomar remédios, na grande maioria das vezes, fazemos isso apenas para controlar os sintomas enquanto o sistema imunológico resolve a causa.

Para a mente este sistema não existe, portanto se algum intruso (trauma) ou processo inflamatório começa a acontecer, a terapia cumpre o papel de um sistema imunológico para ajudar no combate e reestabelecimento da saúde mental.

Sistema imunológico da mente

11. Quando a Hipnoterapia é mais eficaz

Quando os sintomas já se manifestam mesmo sem haver um estímulo ativo.

Os transtornos possuem um ciclo de vida. Na fase pós traumática por exemplo, a hipnoterapia é menos eficaz e a psicoterapia mais recomendada. Porque a mente ainda irá usar sua plasticidade para se recuperar e uma terapia de acolhimento pode contribuir mais neste momento.

Quando o cliente percebe que não existem mais motivos no presente, que justifiquem a presença ou a intensidade de um transtorno, a hipnoterapia é soberana para tratamento.

12. Como funciona uma sessão de hipnoterapia?

Duração: Pode variar muito, de 40 minutos a 4 horas, a diferença está no protocolo que será utilizado. Geralmente uma sessão focada em tratar os sintomas fica próxima dos 40 minutos enquanto uma sessão com técnicas de regressão para tratar as causas, pode facilmente passar de 2 horas.

Roteiro: É comum que primeiro o Hipnoterapeuta tenha uma conversa chamada de Pre-Talk, explicando ao cliente as técnicas que serão utilizadas e como serão percebidas. Logo em seguida realiza a Indução ao Transe e só quando percebe que o estado de hipnose está estável, inicia as Sugestões/Comandos Terapêuticos. Quando identifica que os resultados da sessão foram alcançados, conduz o cliente em um processo chamado de Emersão, para que saia do estado de transe. E por fim uma Entrevista pós-sessão para avaliar a percepção do cliente.

Como funciona uma sessão de hipnoterapia

13. Como funciona um tratamento?

Passar por uma sessão de hipnoterapia é diferente de passar por um tratamento.

Um tratamento é composto por mais de uma sessão, mas não existe um formato fixo. A maioria dos hipnoterapeutas realizam tratamentos em formato de prazo indeterminado. Cobrando por encontro e realizando sessões semanais até que o problema em foco seja superado, em média, tratamentos assim podem durar alguns meses.

Mas também é possível encontrar tratamentos com prazo e/ou número de sessões pré-determinadas, por exemplo em 3 sessões ou 1 sessão de tratamento e outra de retorno.

14. O que pode atrapalhar ou impedir o sucesso de uma sessão ou tratamento?

  • Medo: Um cliente com medo de entrar em hipnose, receio de acessar memórias ou informações em sua mente, pode assim bloquear sua mente para as mudanças que precisa passar.
  • Falta de Confiança: Um cliente que não confie no Hipnoterapeuta que irá conduzi-lo, certamente apresentará resistência para seguir as sugestões hipnóticas, que deveriam ser seguidas sem questionamento crítico.
  • Expectativa Errada: Um cliente que espera perder a consciência durante a sessão ou que espere mudanças mágicas, pode ter os resultados comprometidos por falta de alinhamento de suas expectativas. Em estado de Hipnose ninguém perde a consciência, tem apagão ou vai para Nárnia e as mudanças não são mágicas são programadas e consolidadas na mente em um processo terapêutico, durante e após as sessões.

Um cliente sempre deve lembrar de tudo ao final de uma sessão, de todas as instruções que recebeu, memórias que acessou.

15. O que pode contribuir para o sucesso de uma sessão ou tratamento?

  • Engajamento: É fundamental que o cliente entenda seu papel em um tratamento com hipnoterapia. Estar engajado significa estar dedicado. Disposto a persistir se algo tentar atrapalhar, encarar com prioridade seu processo de mudança, ter foco e disciplina para seguir as orientações planejadas.
  • Saber os resultados que quer alcançar: Não adianta querer mudar sem saber com detalhes, como esta mudança deve ser. Ter o objetivo superficial de ser feliz pode não ser o suficiente, sendo melhor quando o cliente idealiza o que é ser feliz, como é acordar feliz, ir trabalhar feliz, chegar em casa feliz.
  • Vontade real de mudar: É uma força capaz de vencer os obstáculos que precisam ser superados. A terapia é direção, o gps, mas o que realmente leva uma pessoa à sua mudança é ter vontade real de mudar.

16. Quem pode praticar Hipnoterapia no Brasil?

A Hipnoterapia não é uma prática regulamentada, sendo assim, qualquer pessoa pode praticar. Não existe um órgão como um Conselho Federal ou Regional que normatize sua prática.

A legislação do Brasil não restringe o uso da hipnose apenas a médicos, odontólogos e psicólogos.

A hipnose de palco ou para entretenimento chegou a ser proibida no Brasil pelo Decreto nº 51.009, de 22 de Julho de 1961. Porém esse decreto foi revogado pelo Decreto 11 de 21/1/1991. Este último foi, também, revogado. Entretanto essa revogação não restaurou o decreto original, fazendo com que até mesmo a hipnose de palco seja uma atividade de livre exercício no Brasil.

A Hipnose Clínica é reconhecida nos conselhos federais de Medicina (confira aqui), Odontologia (confira aqui), Psicologia (confira aqui) e Fisioterapia (confira aqui).

Hipnoterapia é uma prática aprovada

17. Em quais outras áreas a Hipnoterapia pode ser aplicada?

  • Medicina: para tratamento de dores crônicas, regular a pressão arterial, investigação e tratamento de causas psicológicas para doenças físicas e autoimunes, apoiar a recuperação em pós-operatório, entre outras aplicações.
  • Odontologia: para controle de salivação, hemorragia, anestesia para pacientes com contraindicação a anestésicos, superação de medo de dentista, entre outras.
  • Nutrição: para tratamento de transtornos alimentares como compulsão, apoiando pacientes a conseguirem seguir os planos alimentares com mais disciplina.
  • Educação Física: para aumento do condicionamento e da resistência física em treinos de alta performance e ainda superação de fadiga, cansaço, indisposição para treinos.

Estas são algumas das inúmeras áreas que já começaram a descobrir os benefícios da hipnoterapia.

18. Quais são as regras da mente?

Conhecer estas regras pode contribuir muito para o sucesso de um tratamento porque possibilita entender para contornar, possíveis resistências que poderiam surgir durante o processo.

  • Regra 1 – Proteção: A mente sempre tentará proteger você, mesmo que para isso ela tenha que te prejudicar. Por trás de qualquer transtorno sempre haverá uma intenção positiva da mente voltada a proteger contra ameaças conhecidas.
  • Regra 2 – A mente só vai para onde ela sabe que deve ir: Muitas vezes as pessoas se percebem com dificuldade para mudar algum comportamento. Simplesmente porque não sabem qual comportamento esperam ter, focam apenas no que não querem mais.
  • Regra 3 – Se o cliente não assumir o controle, a mente irá: Acreditamos que a mente subconsciente foi projetada para obedecer a mente consciente. Mas desde que ela assuma o comando, caso contrário, as programações subconscientes assumirão o controle e elas não fazem juízo de valor.
  • Regra 4 – A mente não gosta de mudança: Mesmo que esteja ruim onde você está, não espere que mudanças aconteçam sozinhas. Porque se depender da mente ela continuará assim, simplesmente para evitar a mudança. Mudar exige energia do cérebro e ele foi projetado para economizar energia como método de sobrevivência.
  • Regra 5 – Compensação e Equilíbrio: A mente sempre buscará pelo equilíbrio em suas programações mesmo que precise gerar compensações para isso, por exemplo, uma criança que foi educada com agressão pode desenvolver tanto um comportamento extremamente agressivo (compensação) quanto um comportamento extremamente pacífico (equilíbrio) em função de sua programação mental.

19. Como se qualificar?

É muito importante saber escolher o curso que irá investir para não perder tempo e recursos saindo sem estar realmente preparado.

Como se qualificar

TRAINER

Avalie se o professor tem experiência prática, se é atuante como hipnoterapeuta. Porque é muito importante ter o embasamento teórico, mas também a vivência prática. Por incrível que pareça, no Brasil, a maioria dos trainers não atendem clientes reais com hipnoterapia. Ter formação em diferentes escolas de hipnose no Brasil e no exterior pode ser um importante indicador de riqueza de conteúdo. Ter uma experiência acumulada em anos de prática e estudo. Quanto mais, melhor.

CONTEÚDO

Avalie um cronograma de conteúdo que ensine técnicas e métodos para tratamento de causas e sintomas, que não seja focado apenas em scripts e roteiros de PNL.

ESCOLA

Avalie se existe uma escola por trás do curso. Com estrutura de equipe para prestar apoio durante e após o curso e não apenas um professor em carreira solo. Porque sem uma equipe, naturalmente terá menos disponibilidade para acompanhar e prestar apoio pós-curso.

ESTRUTURA DE APOIO

Avalie se existem grupos de alunos para relacionamento pós-curso, meios de contato para recorrer em caso de dúvidas. Preferencialmente um portal com vídeo aulas para revisão do conteúdo exposto no curso.

TURMA

Avalie se as turmas são realizadas com poucos alunos para melhor absorção e contato com o professor, se possui material de apoio como apostila.

METODOLOGIA

Avalie se a didática de exposição e demonstração do trainer é boa. Afinal não adianta saber fazer se não souber ensinar. Esta é uma das principais causas de alunos que concluem cursos de Hipnose sem perceberem o conhecimento e a confiança que precisam para prosseguir.

PRÁTICA

Avalie se o curso promove a prática das técnicas em carga horária suficiente também para tirar dúvidas, preferencialmente com práticas conduzidas com clientes reais e não apenas com outros alunos.

CARGA HORÁRIA

Existem basicamente 2 formatos de cursos. Um com carga horária média de 20 horas, geralmente mais básicos e introdutórios, realizados em finais de semana. E outro com carga horária superior a 50 horas, geralmente mais completos.

 

Conclusão

A Hipnoterapia é um método que tem alcançado cada vez mais visibilidade e conquistado a preferência dos clientes para tratamento. Deve ser aceita como um método complementar à outras linhas terapêuticas e útil para tratamentos com foco no subconsciente.

Um grande abraço e Muuuuito Beeeeem!!!

        Quem leu este também gostou desses

        Deixe uma resposta

        O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

        0 Compart.
        Compartilhar
        Pin
        Compartilhar
        Twittar